Análise funcional do comportamento do dentista no contexto de sua atuação profissional

Kira Anayansi Singh Sánchez, Antonio Bento Alves de Moraes, Jose Cesar

Resumen


Este trabalho teve corno objetivo identificar as variáveis que afetam a atuação da dentista no contexto do tratamento odontológico utilizando a análise funcional do comportamento como referencial básico. Os participantes foram uma dentista, 3 crianças não colaboradoras (PI, P2 e P3). Para as 3 pacientes realizou-se uma sessão de linha de base e as sessões subsequentes podiam ser 2 sessões nas quais a criança recebia droga (diazepam) ou 2 sessões de placebo até o flnal do tratamento, A dentista foi instnúda a não usar «restrição tisica" nas primeiras 5 sessões. Ao final das sessões em que a criança colaborasse ocorreriam atividades recreativas. As 19 sessões de atendimento foram filmadas e observadas. Realizou-se um registro cursivo dos eventos clínicos e comportamentais das sessões a cada 15 segundos. Para Pl e P2 as categorias de comportamento mais freqüentes foram "direção" e "realiza atividade". Os pacientes foram colaboradores na maior parte do atendimento. Para P3 nas primeiras 5 sessões o uso de "direção" e "persuasão" não foi suficiente para se obter a colaboração do paciente. A partir da 6ft sessão a introdução da «restrição tisica" criou as condições necessárias para a realização do tratamento odontológico e evocou respostas de colaboração. A medicação utilizada não se revelou uma variável relevante neste estudo. Os resultados do presente estudo permitem supor que o que leva a dentista a aruar de modo particular, parece ser o padrão comportamental apresentado pela criança assim como sua história de aprendizado. Verificou-se que a análise funcional é um instrumento valioso para identificar as relações entre diferentes classes de comportamentos e variáveis comportamentais, clínicas e arbitrárias da situação odontológica.

 


Palabras clave


relação dentista-paciente; análise funcional do comportamento; manejo do comportamento do paciente; integração odontologia-psicologia; utilização de ansiolítico.

Texto completo:

PDF