A Prática Cultural do Sexting entre Adolescentes: Notas para a Delimitação do Objeto de Estudo

Fabricio de Souza, Roberto Alves Banaco

Resumen


Este artigo discute a prática do sexting entre adolescentes e se propõe a construir uma análise baseada na defiição de prática cultural presente na perspectiva behaviorista radical. O sexting é defiido como a produção e o compartilhamento, por meio eletrônico, de conteúdos, imagens ou textos que
explicitem claramente áreas genitais ou outras partes do corpo (em forte alusão sexual), ou, em sendo conteúdo escrito, mensagens que expressem experiências e/ou insinuações sexuais do próprio adolescente que produz estes materiais e, também, de seus amigos, colegas ou demais pessoas que estejam a ele ligados em uma rede social específia. São apresentadas análises considerando as possibilidades do sexting ser uma prática social caracterizada ou por uma metacontingência ou por uma macrocontingência. É ressaltada a necessidade de se investir em pesquisas que forneçam dados úteis tanto para a caracterização apropriada do fenômeno quanto para o planejamento de intervenções adequadas e que considerem o sexting parte de um repertório mais amplo da vivência da sexualidade em tempos de interação social mediada pela tecnologia de informação e comunicação.


Palabras clave


Sexting, adolescentes, internet, metacontingências e macrocontingências, sociabilidade e tecnologia.

Texto completo:

PDF