LOGISTICA REVERSA DE MEDICAMENTOS VENCIDOS E EM DESUSO EM UM PAÍS EM DESENVOLVIMENTO. ESTUDO DE CASO: JOAO PESSOA – PARAÍBA/BRASIL

Ianina Gonzalez Toscano, Claudia Coutinho Nóbrega

Resumen


Os resíduos de medicamentos são comumente descartados de forma inadequada, em vasos sanitários, pias ou como resíduo doméstico, podendo provocar risco ao meio ambiente e à saúde pública. O gerenciamento de resíduos sólidos apropriado permite minimizar a produção e proporcionar a sua disposição final adequada. O presente artigo teve como objetivo analisar a estrututação da logística reversa da coleta e o descarte de medicamentos vencidos e ou em desuso nos estabelecimentos farmacêuticos no município de João Pessoa/PB - Brasil. O estudo foi desenvolvido por meio da aplicação de check list, nos estabelecimentos farmacêuticos e de entrevista com o responsável no setor de medicamentos de Vigilância Sanitária Municipal. Os resultados mostraram que a maioria das farmácias e drogarias do município de João Pessoa entrevistadas, possuem plano de gerenciamento de resíduos sólidos (99,02%) e praticam a logística reversa de medicamentos vencidos e em desuso (95,1%). Também foi verificada a carência de informações disponibilizadas para a população quanto ao descarte correto dos medicamentos. Os resultados obtidos poderão auxiliar na tomada de decisões quanto à logística reversa de medicamentos vencidos e em desuso no âmbito legislativo e operacional, nos estabelecimentos farmacêuticos do município em estudo.


Palabras clave


descarte; farmácias; fármacos; gerenciamento; resíduos sólidos

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2021.14.3.75520