FILTRAÇÃO INVERSA EM MARGEM APLICADA PARA O TRATAMENTO DE ÁGUA DE AMBIENTES AQUÁTICOS LÊNTICOS: AVALIAÇÃO DA DISTÂNCIA DE FILTRAÇÃO NO DESEMPENHO DE TRATAMENTO

Sergio Luiz Bello, Mauricio Luiz Sens, Thyara Campos Martins Nonato, Augusto de Oliveira Neto

Resumen


Esse estudo avaliou a distância de filtração em um sistema de filtração em margem inversa (FMI) empregado para o tratamento de água de um ambiente lêntico. O sistema foi empregado em escala real em um lago (volume de 2.156 m³) no sul do Brasil. A unidade de tratamento consistiu em quatro etapas relacionadas, primeiramente com a captação de água do lago, seguido de uma vala de infiltração, de onde a água escoa em direção ao lago, tratando por filtração nos sedimentos do solo e pela ação microbiana e um conjunto de piezômetros foi instalado para o monitoramento do escoamento e coleta de amostras. Durante um período de 9 meses foram monitorados os parâmetros clássicos de qualidade de água. Identificou-se uma eficiência de remoção e concentração média na ordem 46.52% (134.09 – 71.71 mg L-1), 60.71% (57.94 – 46.83 mg L-1), 37.23% (6.3 – 3.98 mg L-1), 50.75% (4.65 – 2.29 mg L-1), 47.40% (2.70 -1.42 mg L-1), 90.81% (1.85 – 0.17 mg L-1) e 20 % (0.05 – 0.04 mg L-1) para SST, DQO, NT, N-NH4+, PT, Fe e Mn, respectivamente. Além disso, os resultados mostraram que o desempenho de tratamento aumentou significativamente ao longo da distância de filtração e a desnitrificação foi o principal mecanismo associado a remoção de N-NH4+.


Palabras clave


filtração em margem; distância de filtração; remoção de poluentes; desnitrificação; série nitrogenada

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2022.15.1.76697