OCORRÊNCIA, DETECÇÃO E ROTA DE TRATAMENTO DE EFLUENTES COM CONTAMINAÇÃO POR DROGAS ILÍCITAS NO BRASIL: UMA REVISÃO DA LITERATURA

Marina Teixeira Cunha Frias, Marcos Paulo Gomes Mol

Resumen


O consumo de drogas ilícitas no Brasil e no mundo está em crescimento e com isto, aumenta o potencial de contaminação das águas superficiais, subterrâneas e esgotos. O ciclo de contaminação das águas por estes e outros micropoluentes pode comprometer a saúde de humanos e animais, apesar da baixa concentração quantificada. Devido à complexidade de análise de micropoluentes nos corpos d’água, utiliza-se de procedimentos avançados para sua quantificação, como a técnica do acoplamento de cromatografia líquida e espectrometria de massas (UPLC-MS/MS). Para reter e/ou remover os micropoluentes nas estações de tratamento de esgoto e água, faz-se necessário o acréscimo de tratamento terciário, uma vez que os métodos convencionais muitas vezes não são projetos para remover essas substâncias recalcitrantes. A quantificação destes poluentes nas águas e esgotos tem importante relevância na disseminação da informação de consumo destas drogas ilícitas.


Palabras clave


drogas ilícitas; contaminação; tratamento de esgoto; tratamento de água

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2022.15.1.76758