ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE INDICADORES QUE INFLUENCIAM A TOXICIDADE DE LIXIVIADO DE ATERRO SANITÁRIO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

Naiara Angelo Gomes, Elisângela Maria da Silva, Libânia da Silva Ribeiro, Márcio Camargo de Melo, Veruschka Escarião Dessoles Monteiro

Resumen


Em virtude da complexidade do processo de biodegradação de resíduos sólidos urbanos em aterro sanitário, são gerados os líquidos lixiviados, que apresentam em sua composição concentrações significativas de compostos tóxicos, e quando lançados, sem um prévio tratamento no meio ambiente, oferecem riscos à saúde pública e ao meio ambiente. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi analisar o comportamento de indicadores químicos capazes de influenciar o potencial tóxico do lixiviado gerado no Aterro Sanitário em Campina Grande, Paraíba, Brasil. Para isso, foram realizados ensaios de pH, ácidos graxos voláteis (AGV), nitrogênio amoniacal total (NAT) e metais (Fe, Mn, Zn e Cr), com uma frequência quinzenal, ao longo de 150 dias de monitoramento. Os resultados indicaram que, durante a fase de degradação ácida (até t=60 dias) dos resíduos depositados no Aterro investigado, a toxicidade do lixiviado foi influenciada, principalmente, pelos valores ácidos de pH (5.48 a 6.27), as elevadas concentrações de AGV (5928 a 6450 mgHAC.L-1) e aos altos teores de Fe (77 a 172 mg.L-1), Mn (27.7 a 37.2 mg.L-1) e Cr (1.24 a 1.89 mg.L-1). Portanto, conclui-se que, as concentrações do NAT (até t=150 dias), Fe, Mn e Cr (até t=60 dias) no lixiviado, excederam os valores máximos permitidos estabelecidos na Resolução n. 430 do Conselho Nacional do Meio Ambiente, representando risco para a saúde pública e o meio ambiente.


Palabras clave


ácidos graxos voláteis; biodegradação de resíduos sólidos urbanos; metais; nitrogênio amoniacal total; potencial tóxico

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2022.15.1.77050