OBTENÇÃO DE PARÂMETROS PARA DIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE SECAGEM NATURAL DO LODO DE ETA EM ESTUFA PILOTO

Matheus Marques Simões, Luciano Farias de Novaes, Gustavo Almeida Frata

Resumen


Técnicas de redução do volume de lodo das Estações de Tratamento de Água (ETA), tanto naturais quanto mecanizadas, estão sendo desenvolvidas e aperfeiçoadas no Brasil e em diversos países. Nesse sentido, o presente estudo teve objetivo de determinar e avaliar parâmetros para a secagem natural de lodo de ETA em uma estufa de escala piloto instalada em uma ETA situada no estado de São Paulo. O experimento de secagem foi conduzido com condições de secagem diferentes das já estudadas anteriormente na mesma unidade de tratamento, para tanto, foi realizado na estufa existente modificações na sua estrutura, incluindo o fechamento das suas laterais visando aumentar a temperatura interna. A concentração de sólidos totais obtida no experimento para 76 dias de secagem natural em estufa, foi de 87.20%, 74.40% e 50.30% respectivamente para as camadas de 15 cm, 30 cm e 60 cm. A altura da camada de lodo que representou a menor área necessária para secagem foi de 40 cm, ou seja, embora os experimentos mostraram que a camada de 15 cm apresentava melhores taxas de secagem (menor tempo de secagem), ao utilizar esta altura, requer maiores áreas e maiores estruturas de estufas. Ao considerar um alcance de 90% de sólidos totais no lodo, a eficiência da Estufa de Secagem Natural (após modificações) foi prejudicada. Embora a temperatura do ar interno tenha aumentado, não foi previsto um dispositivo para recirculação dele. Com isso, a estufa de laterais fechadas levou 123 dias para realizar a secagem e a de laterais abertas 111 dias.


Palabras clave


estufa de secagem natural; métodos de secagem; resíduos de ETA; saneamento básico; secagem por energia solar

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2022.15.1.78810